segunda-feira, 10 de outubro de 2011

IMAGINE – John Lennon e Jesus






"Imagine que não há paraíso
É fácil se você tentar
Nenhum inferno abaixo de nós
Acima de nós apenas o céu
Imagine todas as pessoas
Vivendo para o hoje

Imagine não existir países
Não é difícil de fazê-lo
Nada pelo que lutar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz

Você pode dizer
Que eu sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu tenho a esperança de que um dia
você se juntará a nós
E o mundo será como um só

Imagine não existir posses
Me pergunto se você consegue
Sem necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade de humanos
Imagine todas as pessoas
Compartilhando todo o mundo

Você pode dizer
Que eu sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu tenho a esperança de que um dia
Você se juntará a nós
E o mundo será como um só
" (John Lennon)


Em 1966 John Lennon, no auge da fama, declarou que os Beatles eram mais famosos que Jesus Cristo. Ele disse: "O cristianismo vai desaparecer e encolher.Eu não preciso discutir isso, eu estou certo e eu vou provar agora Nós somos mais populares que Jesus agora, eu não sei qual será o primeiro - o rock 'n' roll ou o cristianismo. Jesus estava certo, mas seus discípulos eram grossos e ordinários". Mais tarde, depois do escândalo provocado por essa declaração ele tentou consertar, afirmando: "Não sou antideus, nem anticristo, nem antireligião". Em 1970, Paul McCartney anunciou o fim dos Beatles, depois de uma série de crises e desentendimentos entre os componentes da banda. Em 1971 Lennon lançava a belíssima música “Imagine”. Porém, ao tentar ser politicamente correto em seus versos, eliminando o paraíso e o inferno, ele revela a idéia do deus dos panteístas – um deus que é todas as coisas e não o Deus criador de todas as coisas e seres viventes, como ensinava Jesus Cristo. .
Na letra de “Imagine” vemos como John Lennon se revelou tributário da mensagem suprema de Jesus Cristo. Pena que ele não creu na transcendência divina de Jesus e opinou preconceituosamente sobre o caráter de seus seguidores – não discernindo religiosos oportunistas dos verdadeiros cristãos.
Gosto da música dos Beatles, porém o único ídolo que admito reinar em meu coração é Jesus. Ninguém superou sua mensagem de amor e paz, porque ele viveu-a radicalmente, assumindo no Calvário a minha rebelião, meu pecado e minha condenação. Garantiu a salvação eterna da minha alma!
A história humana, desde o advento de Jesus Cristo, divide-se em A.C e D.C – antes e depois de Cristo. Ele é a plenitude dos tempos! Falando a seus discípulos ele disse: “Ninguém tem maior amor do que este, de alguém dar a sua vida pelos seus amigos”. Ele foi mais longe do que qualquer ser humano.
Ele tinha mais do que um belo discurso! Ele viveu sua mensagem de forma radical, obstinada, até a última gota de sangue. Lemos o Profeta Isaías, cerca de quatrocentos anos antes de Jesus: “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi transpassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados
Imagine” é uma bela canção que fala ao coração do nosso tempo e da nossa geração, que conviveu com a realidade dolorosa de guerras como a do Vietnã, Biafra, Camboja, entre outras. Sua poesia é bela, porém sua verdade é relativa!
Sim, há um paraíso – ele começa no coração de quem segue o único que pagou com sangue inocente o preço do resgate de sua alma eterna;
Sim, há um inferno para aquelas almas que perseveram obstinadas, sem arrependimento, na maldade e na injustiça, nos crimes de corrupção, na feitiçaria, na cruel perversidade contra crianças e outros inocentes, na dominação dos povos, na destruição ambiental, na busca do poder pela força das armas e no lucro bilionário do comércio de armas, no tráfico de seres humanos, etc. Que sejam poucos os súditos desse lugar tenebroso -, porém é uma realidade que nenhuma poesia pode fazer desaparecer.
Imagine todas as pessoas vivendo o dia de hoje” – esse desapego altruísta e generoso está no coração do Evangelho de N.S.Jesus Cristo. Além de partir o pão e multiplicá-lo para milhares ele nos ensinou a orar: “O pão nosso de cada dia daí-nos hoje” – o verdadeiro seguidor de Cristo deve viver na simplicidade e humildade ensinadas por Jesus – partilhando a cada dia as bênçãos recebidas através da natureza generosa criada por Deus;
Jesus nunca pregou a guerra e mandou que o inimigo fosse alvo de nossa oração e bem-aventurança. A luta, porém, é uma realidade espiritual da qual não podemos fugir. Não contra o sangue e a carne (pessoas), mas contra “potestades espirituais”. Essa luta é exercida com paz no coração, benevolência e serviço ao próximo.
E nenhuma religião também” – Jesus não criou uma religião! Na verdade, ele edifica a sua Igreja e afirma que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. As instituições religiosas são passageiras e circunstanciais, porem necessárias para sintonizar os fiéis. A Igreja, porém, transcende a todas elas. Hoje, embalados por uma compreensão errada e distorcida da Igreja, milhões de jovens vivem de coração vazio, buscando preenchê-lo com o que o consumismo oferece. Nunca floresceu tanto da indústria das drogas e do álcool. Santo Agostinho disse: “Há no coração humano um vazio do tamanho de Deus”. Só Deus pode preencher esse vazio – Cristo é a ponte segura e firme que nos religa a Ele!
Imagine não existir países”. Um dia esse sonho será realidade. Gente de todas as tribos, línguas e nações partilharão do Universo infinito, vivendo eternamente, viajando a velocidade da luz. Dizem as Escrituras: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, o que Deus tem preparado para os que O amam”. Somos criaturas deficitárias, imperfeitas, contraditórias, no entanto somos chamados para seguir a trilha estreita que conduz a esse universo sem países e sem limites!

"Imagine não existir posses
Me pergunto se você consegue
Sem necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade de humana
Imagine todas as pessoas
Compartilhando todo o mundo
"

Lemos em Atos 2.44-47 o perfil da Igreja primitiva, que deve ser modelo para a Igreja de todos os tempos: “Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”. Grande parte das instituições religiosas estão à deriva desse paradigma – porém os verdadeiros discípulos de Cristo são generosos, partilham seus bens, vivem de forma amiga e fraternal. Os apenas religiosos muitas vezes são pedra de tropeço Jesus alertou seus discípulos quanto à usurpação, quando condenou o comércio que se fazia no templo de Jerusalém. Ele disse: “A minha casa será chamada casa de oração e não covil de salteadores”.

"Você pode dizer
Que eu sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Eu tenho a esperança de que um dia
Você se juntará a nós
E o mundo será como um só
".

John Lennon, como os outros integrantes dos Beatles, foi influenciado – mesmo que em certa medida rejeitassem – pela cultura cristã das democracias ocidentais. A Inglaterra durante dezenas de anos foi uma das grandes forças missionárias do cristianismo, no mundo – apesar do colonialismo e dos interesses mercantilistas de seus potentados capitalistas.
O cristão vive, hoje, nadando contra-a-corrente. Resiste contra a cultura que coisifica o ser humano, manipula sua consciência e o escraviza pela imposições de hábitos de consumo que agride seu corpo, compromete sua mente e nega sua realidade espiritual.
Podemos, juntos, mudar o mundo. Fundamental seguir aquele que, efeitivamente mudou o mundo para sempre.
Há intelectuais e pensadores, filósofos e até teólogos que querem impor suas idéias e ideais através da persuasão, através do poder político e econômico. Jesus nunca usou esses métodos autoritários ou impositivos. Ele apenas diz: Vem, e segue-me!

Jesus fala ao coração e seu chamado de amor é irresistível!


José Julio de Azevedo, 8.10.11

2 comentários:

รลяลђ รเφиэя' disse...

Já ouvi a música diversas vezes e sou uma fâ inegável do John Lennon e creio q nessa música ele expressou tudo o que era necessário ser expressado e não há letra mais atual que expresse os problemas do mundo de hoje. Na letra John imagina um mundo sem nada que pode causar conflito, divisão de países, ganância, fome e religião. Creio em Deus e ainda assim levo essa música como um hino à perfeição que o ser humano precisa alcançar. Vemos hoje em dia pessoas matando umas às outras em nome de Deus, mas essa luta não pode ser real pois Deus é infinitamente justo e misericordioso e aqueles que cometem tal pecado em Seu nome, esses sim não são dignos do céu.
Com essa música John Lennon deixou uma importante mensagem sobre tudo aquilo que é necessário mudar, banir ou aperfeiçoar em nosso mundo repleto de falhas.

lore disse...

deus não existe